Wednesday, May 03, 2006

Para que serve a História?

Como hoje o meu dia foi duro, passei a tarde e parte da noite participando do primeiro dia do Encontro de Professores de História do Estado do Pará, estou realmente exausta. Por isso não tive tempo de pensar algo para postar. Mas como já estou a dois dias em atraso nas postagens vou colocar algo bem no clima do próprio encontro.
Creio que para nós do meio acadêmico de história, já está meio que delineado o porque de se estudar história. Coloco aqui alguns pontos de vista de professores acerca do assunto:
1) “A História serve para justificar visões de mundo” – Prof. Dr. André Ricardo Valle Vasco Pereira (Ufes)

2) “Com a História entende-se o passado, compreende-se o presente e faz-se projeções para o futuro” – Prof. Dr. Sebastião Pimentel Franco (Ufes)

3) “A História serve para se entender o presente” – Prof. Ms. Josemar Machado de Oliveira (Ufes)

4) “A História é uma das formas de reflexão da vida social, pois nossa sociedade é auto-reflexiva” – Prof. Dr. Estilaque Ferreira dos Santos (Ufes)

5) “A História serve para se entender o desenvolvimento das sociedades e dos valores da humanidade; com ela o historiador constrói e divulga conceitos e ideologias com o intuito de promover uma melhora na vida das pessoas” – Profa. Dra. Maria da Penha Smarzaro Siqueira (Ufes)

6) “A História serve para que nos divirtamos lendo uma novela que aconteceu na realidade” – Profa. Dra. Patricia Grau-Dieckmann (Univ. de Buenos Aires)
Mas afinal, para que serve a história?
Deixando as utopias de lado, podemos dizer que ela não serve para nada, a não ser para alimentar nosso ego de conhecimento ou nos torturar diante de uma percepção de mundo que a ela própria nos permite conhecer. Porque o que observamos de fato é a gradual derrocata do mundo sem que possamos fazer algo que realmente mude alguma coisa.

11 Comments:

Anonymous Anonymous said...

hummmm! servir serve. mas acredito que a relação que estabelecemos com o conhecimento histórico gera uma série de problemas. assim como qualquer tipo de conhecimento você precisa de um certo "estado de espírito" pra conseguir digerir a coisa toda. o conhecimento histórico traz uma luz que clareia sua percepção do mundo, mas às vezes a luz e forte demais e acaba cegando você. eu cheguei a ficar cego até o semestre retrasado... to usando óculos agora... se é que existe óculos pra cegueira!

4:55 AM  
Anonymous Anonymous said...

esqueci de assinar o post acima. é meu tá menina.

Bruno Almeida

4:56 AM  
Blogger Aline e seus pensamentos said...

Claro Bruno, tinha entendido que era vc. Mas sempre identifique-se. bjs

9:41 PM  
Blogger natalia brabo said...

Égua, pra projetar o futuro?
Não to sabendo disso não. ahaha

6:58 AM  
Blogger Wanderson Santos de Almeida said...

Bom dia!

Usou parte do artigo do meu querido, professor, doutor, pesquisador, orientador e amigo Ricardo Luiz Silveira da Costa e não colocou a referência.

Pecado!

Mas fico feliz em saber que o seu artigo está sendo bem lido e se tornando referência para outros historiadores.

Um grande abraço!

6:59 AM  
Blogger Wanderson Santos de Almeida said...

Inclusive a turma de 2003 que ele cita no artigo é a minha...

Triste legado!

7:01 AM  
Blogger Lampreia said...

"Não serve para nada"... "Não podemos fazer nada"???
Ótimo, fique em casa, de boca aberta sentado na poltrona, assista bastante Faustão aos domingos e, finalmente, espere que um dia o mundo acaba!
Enquanto isso, nós historiadores continuamos a analisar os fatos do passado, para que, daqui pra frente, possamos expor às pessoas, como você, que SIM, podemos fazer algo para mudar nossa história!

Abraços

Gustavo - Professor de História.

11:30 AM  
Anonymous Anonymous said...

Nossa, nem dá acredita que foram doutores que escreveram algumas aí!

12:36 PM  
Anonymous Rosilene Silva - Professora de História said...

O prof. Dr. que me desculpe, mas esse negócio de fazer projeções sobre o futuro, não dá... A História não é uma ciência linear, com a qual seja possível fazer algum tipo de previsão. Quanto a fazer algo a partir do conhecimento histórico, acredito que seja possível, mas talvez seja a mais difícil e dolorida das mudanças, pois passa pela reflexão, o abandono de "teorias" estipuladas pelo senso comum e principalmente pelo refinamento da visão (ou visões)que nós temos do mundo.

1:34 PM  
Anonymous Anonymous said...

Este texto faz parte de um artigo do professor drº. da universidade federal do Espirito Santo Ricardo da Costa. foi citada a fonte??

9:30 PM  
Blogger alexandra quesado said...

é sim simmm

9:32 AM  

Post a Comment

<< Home